Publicidade
Publicidade - Super banner
Brasil
enhanced by Google
 

Governo quer deixar Enem para depois das eleições

A prova do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) deste ano deverá ocorrer nos dias 6 e 7 de novembro. Segundo o ministro da Educação, Fernando Haddad, a ideia é realizar o Enem depois das eleições de outubro - o primeiro turno será no dia 3, e o segundo, no dia 31.

Agência Estado |

A data final da prova será definida pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep).

"É pouco recomendável fazer ao Enem entre o primeiro e o segundo turno das eleições", disse hoje Haddad, depois de participar de audiência pública na Comissão de Educação da Câmara. Com a realização agora do Enem em novembro, o governo afasta o risco de qualquer problema com o exame ocorrer em plena campanha eleitoral.

No ano passado, a prova do Enem vazou e, depois de terem tentado vender uma cópia do exame para o jornal O Estado de S. Paulo, o governo federal foi obrigado a cancelar o teste previsto para o primeiro fim de semana de outubro. A prova acabou sendo feita só em dezembro.

As universidades de São Paulo são favoráveis à realização do Enem o mais cedo possível, mas os demais Estados defendem que a prova seja feita depois das eleições. Haddad explicou que o Ministério desistiu de fazer um Enem no primeiro semestre deste ano depois da descoberta de fraude no exame nacional da Ordem dos Advogados (OAB) do Brasil, em março.

Em seu depoimento à comissão de Educação, Haddad afirmou ainda que a sobra de vagas nas universidades federais será de cerca de 2% do total de 48 mil vagas oferecidas, ou seja, em torno de mil vagas. "O resultado de sobra de vagas deve ser de 2%. Está faltando vaga", afirmou o ministro.

Leia tudo sobre: iG

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG