Governo propõe autoavaliação para educação infantil

O Ministério da Educação quer que todas as instituições ligadas à educação infantil - de zero a seis anos - façam uma autoavaliação sobre a qualidade do ensino e da infraestrutura para o atendimento das crianças. Esta é a primeira vez que se elabora um questionário de avaliação da educação infantil.

Agência Estado |

O questionário Indicadores da Qualidade na Educação Infantil começou a ser distribuído em Curitiba, durante o Fórum da União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (Andime), que teve início hoje e vai até quinta-feira. "Queremos que seja também um processo de formação", disse a secretária nacional da Educação Básica, Maria do Pilar Lacerda Almeida e Silva.

A proposta é que as avaliações sejam feitas com o máximo possível de participantes da comunidade, tendo como objetivo a melhoria da qualidade da instituição. Por isso, ele não será obrigatório. "Se for obrigatório, já não envolve todo mundo, é feito pela direção", ponderou a secretária. De acordo com ela, o instrumento de avaliação foi feito com a participação de vários profissionais, durante pelo menos um ano, e apresentado após pré-testes em algumas instituições públicas e privadas.

Os questionamentos são feitos a partir de sete dimensões: planejamento institucional; multiplicidade de experiências e linguagens; interações; promoção da saúde; espaços, materiais e mobiliários; formação e condições de trabalho dos professores e demais funcionários; e cooperação e troca com as famílias e participação da rede de proteção social. Cada uma das dimensões apresenta os indicadores a serem analisados, aos quais são atribuídos os conceitos "bom", "merecedor de atenção" ou "grave".

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG