Depois do fracasso do programa Primeiro Emprego, o governo federal fará uma nova tentativa para atender os jovens de baixa renda da periferia e evitar seu envolvimento com o crime organizado. A idéia agora é apostar no Praça da Juventude, programa conduzido pelo Ministério do Esporte.

Serão instalados minicomplexos esportivos em áreas metropolitanas consideradas críticas em termos de violência.

Cada unidade do Praça da Juventude custará cerca de R$ 1,5 milhão e terá ginásio poliesportivo, rampa de skate, pista para caminhadas, entre outros atrativos, num espaço de 8 mil metros quadrados. A previsão é inaugurar 19 unidades no início de 2009 - falta apenas a definição exata dos locais.

Já existe a decisão política do governo federal de inaugurar as primeiras cinco praças no Rio de Janeiro, Estado onde é grande o envolvimento de jovens com o crime organizado. Dois desses locais já estão definidos: Complexo do Alemão e Cidade de Deus. Essa opção representa também um movimento político do governo federal. O governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral Filho (PMDB), é hoje um dos principais aliados do presidente Luiz Inácio Lula da Silva e tem como principal cobrança da opinião pública o combate à violência local.

O programa prevê a instalação das praças em outras periferias de capitais brasileiras, como São Paulo. O ministro do Esporte, Orlando Silva, disse ontem em Brasília que conversou com o prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab (DEM), nesta semana para discutir o local. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.