Governo pode prorrogar vacinação contra gripe A devido à baixa adesão

Assustado com a baixa adesão ao programa de vacinação, o governo estuda prorrogar a campanha contra gripe suína. Números reunidos até segunda-feira mostram que 20,4 milhões de pessoas foram vacinadas contra a doença, o que representa apenas 34,8% do público-alvo.

Agência Estado |

Um desempenho abaixo do esperado, mesmo após o "dia D", esforço feito no sábado para tentar ampliar o comparecimento aos postos.

O ministro da Saúde, José Gomes Temporão, afirmou ontem que está preocupado com a baixa adesão de gestantes, doentes crônicos e jovens entre 20 e 29 anos. Foram vacinadas até agora 48,7% das grávidas, 44,2% dos doentes crônicos e 20,2% dos adultos jovens. “É preciso que as pessoas compareçam. A vacina é eficaz, é segura”, afirmou mais uma vez o ministro.

Entre profissionais de saúde, a meta de vacinação foi atingida. O grupo de crianças de 6 a 23 meses também apresenta um bom indicador, 75,3%, bem próximo da meta de 80%.

Diante do baixo comparecimento aos postos, o ministro enviou na semana passada um apelo às entidades médicas, para que elas reforcem com os associados a necessidade de esclarecer sobre a importância da vacina. A ideia é tentar evitar ao máximo a prorrogação da campanha. Mas, caso os indicadores estejam bem abaixo do planejado, o recurso poderá ser adotado.

Paraná

Temporão afirmou que vai recorrer da decisão dada pela Justiça do Paraná, que determina o fornecimento da vacina contra gripe suína para toda a população do Estado. “Se seguirmos a orientação, será preciso retirar vacina de outros locais”, disse.

A liminar foi concedida anteontem numa ação movida pelo Ministério Público Federal. O governo tem prazo máximo de 20 dias para cumprir o determinado, sob pena de pagar uma multa diária de R$ 50 mil. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

AE

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG