Governo oficializa B5 para janeiro e Lula faz alerta sobre soja

BRASÍLIA (Reuters) - O governo formalizou nesta sexta-feira a decisão de antecipar para janeiro do ano que vem o aumento da mistura de biodiesel no diesel dos atuais 4 por cento para 5 por cento, o chamado B5. A medida deve elevar a produção de biodiesel no Brasil para 2,4 bilhões de litros em 2010. Mas o presidente Luiz Inácio Lula da Silva alertou, durante a solenidade de formalização da nova mistura, que o país não deve ficar dependente do óleo de soja como principal matéria-prima para o combustível.

Reuters |

"Nós não temos o direito de ficarmos dependentes da soja. Será um ledo engano e nós iremos começar a perder politicamente o que ganhamos até agora, porque a soja é um alimento e tem 1 bilhão de seres humanos passando fome no mundo", afirmou.

A questão do uso de alimentos para a produção de biocombustíveis tem gerado críticas pelo mundo afora, e o governo quer evitar essa associação para o biodiesel nacional.

"É preciso que a gente comece a pesquisar e investir em novas oleaginosas, para que a gente tenha uma diversificação muito grande na produção do biodiesel", disse Lula, que defendeu o uso do óleo de soja apenas como elemento regulador do mercado, em momentos de oferta escassa de outros produtos.

O programa de biodiesel no Brasil foi lançado como alternativa de produção para agricultores familiares e apostando em produtos como a mamona, mas o uso do óleo de soja cresceu e hoje é uma das principais matérias-primas do setor.

O presidente cobrou que a Petrobras Biocombustíveis, que é responsável pelas compras de biodiesel no Brasil, assuma a iniciativa de buscar a diversificação das matérias-primas para o biodiesel.

"A minha preocupação é que se amanhã o preço da soja subir muito e a China quiser comprar muito mais, nós poderemos começar a ter problemas", disse Lula.

(Reportagem de Fernando Exman)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG