Governo não discriminará município governado por opositor, diz Genro

RIO - O ministro da Justiça, Tarso Genro, afirmou que não haverá distinção de tratamento por parte do governo federal caso o candidato Fernando Gabeira (PV) vença a disputa pela Prefeitura do Rio de Janeiro. Segundo o ministro, ninguém vai ser discriminado.

Valor Online |

"Apóio o Eduardo Paes aqui por uma razão política concreta", afirmou Genro. "Agora, se ele eventualmente não ganhar, e eu acho que isso não vai acontecer, nossa atitude vai ser a mesma, não tem discriminação por parte do governo federal", acrescentou o ministro, que participou hoje da cerimônia de adesão do Estado do Rio ao Programa de Habitação para Profissionais de Segurança Pública.

Genro lembrou que o Ministério da Justiça já destinou mais de R$ 100 milhões ao Rio Grande do Sul no âmbito do Programa Nacional de Segurança Pública com Cidadania (Pronasci), estado governador por Yeda Crusius, do PSDB.

"Esse dinheiro foi para lá porque eles apresentaram projetos. Posso ser criticado por ter dado dinheiro para o PSDB, mas isso não me importa", afirmou o ministro, que gravou hoje participação para o programa eleitoral do candidato Eduardo Paes (PMDB), que é apoiado pelo PT no Rio de Janeiro.

Além de mostrar confiança nas possibilidades de vitória de Paes no Rio de Janeiro, Genro ressaltou que em Porto Alegre a petista Maria do Rosário tem condições de bater José Fogaça, do PMDB.

"A Maria do Rosário saiu de 22% para 44%, portanto (está numa trajetória) ascendente. E todos nós sabemos que é uma tradição do Partido dos Trabalhadores ter um surto de crescimento na última semana. A eleição em Porto Alegre vai ser muito parelha, muito justa, e nós achamos que podemos virar o quadro", disse.

O ministro evitou comentários sobre a corrida municipal em São Paulo. Depois de alegar que não possuía informações seguras sobre o quadro da eleição na cidade, Genro se limitou a um rápido comentário ao ser questionado sobre qual o problema da candidatura petista em São Paulo.

"O problema é que está 14 pontos atrás", frisou, em referência às pesquisas que colocam o atual prefeito, Gilberto Kassab (DEM), com ampla vantagem em relação à petista Marta Suplicy.

(Rafael Rosas | Valor Online)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG