Governo libera R$ 100 milhões para Alagoas e Pernambuco

Cada Estado receberá de imediato R$ 50 milhões para atender as vítimas das enchentes

iG São Paulo |

nullDepois de uma reunião ministerial realizada no Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB), comandada pela ministra-chefe da Casa Civil, Erenice Guerra, o governo anunciou a transferência imediata de R$ 50 milhões para os Estados de Alagoas e Pernambuco, de um total de R$ 100 milhões que estão previstos para serem repassados num primeiro momento para atender as vítimas das enchentes. "Esse dinheiro que estamos liberando é para socorro", disse o ministro do Planejamento, Paulo Bernardo, nesta terça-feira.

Os ministros da Defesa, Nelson Jobim; da Integração Nacional, João Santana; e dos Transportes, Paulo Passos, já se deslocaram para a região para verificar os problemas e as principais necessidades. O presidente Luiz Inácio Lula da Silva também vai visitar áreas atingidas assim que cumprir as agendas desta terça em Altamira e Marabá, no Pará.

A ministra Erenice Guerra informou que foi instalado o gabinete de crise para acompanhar e coordenar todas as ações de atendimento às regiões atingidas e declarou que "a situação é muito grave". Erenice informou que, na reunião de ontem à noite com os governadores, eles relataram os dramas vividos pelas famílias, apresentando fotos e filmes e, diante desse quadro dramático, foi instalado o gabinete de crise, com a mobilização de todos os Ministérios.

Atendimento

Erenice explicou que, dada a intensidade da tragédia, tendas do Exército serão montadas, como medida emergencial em algumas cidades, já que em algumas delas não há nem sequer escolas ou ginásios para atender aos desabrigados.

A ministra informou também que a Força Nacional de Segurança Pública já está com 400 homens aquartelados à disposição dos Estados para que eles possam ajudar, seja em questão de segurança para evitar saques, seja na colaboração na distribuição de alimentos e água.

Erenice informou ainda que 75 mil cestas básicas estão sendo enviadas para Pernambuco e Alagoas, além de uma série de kits de enchentes. Há uma preocupação também com o restabelecimento de energia em locais onde até as linhas de transmissão foram destruídas. Nesse caso, geradores serão levados para as cidades. Também estão sendo levadas para a região pontes móveis, já que alguns lugares ficaram isolados por causa da destruição causada pelas chuvas.

O ministro do Planejamento, Paulo Bernardo, informou que não há definição exata da quantidade de recursos que será necessária para o atendimento aos dois Estados. Ele explicou que existe uma Medida Provisória de R$ 1,2 bilhão, assinada na semana passada, e que parte dos recursos dela será destinada a essas vítimas. Ele informou que outra MP será editada para atender a esse caso específico. "Não vai faltar recurso", declarou Paulo Bernardo, ao informar que, além de verba para atendimento emergencial aos Estados, serão necessários recursos também para reconstrução de obras federais, como recuperação de estradas e pontes que foram destruídas.

Paulo Bernardo anunciou também que o governo vai propor uma mudança na sistemática de liberação de recursos em casos de catástrofe pela Defesa Civil. "Há uma morosidade muito grande. Questões burocráticas, que precisam ser revistas", declarou o ministro, sem especificar exatamente quais as modificações que serão propostas. Ele citou apenas que hoje pode levar 45 dias para que se libere recursos pela Defesa Civil e que o governo quer enviar ao Congresso uma nova lei do marco regulatório para isso.

O ministro chefe do Gabinete da Segurança Institucional (GSI), Jorge Armando Félix, informou que hoje será realizada uma reunião do gabinete de crise para montar a estrutura de atendimento emergencial e o elo com os Estados. Ele informou ainda que o GSI vai manter contato com empresas que foram doadoras para o Haiti para pedir que eles ajudem também os desabrigados do Nordeste. O que é mais imediato para eles é água potável e comida que não precise ser manipulada.

Doações

O governador do Alagoas, Teotônio Vilela Filho, solicitou durante entrevista à rádio "O Jornal AM 710" o apoio da sociedade e pediu urgência das ações do governo para reduzir os estragos causados pelas enchentes que atingiram 21 municípios alagoanos. Vilela defendeu a centralização e a organização das ações, priorizando o atendimento aos desabrigados e desalojados.

"A prioridade é salvar vidas, depois conseguir água e, por fim, buscar a solidariedade de governadores (de outros Estados)", explicou.

Por conta da gravidade da situação dos municípios afetados, Vilela espera o apoio da sociedade para arrecadação de donativos para as mais de 68 mil pessoas atingidas. "É importante que as pessoas saibam que estamos diante de uma calamidade. São entre 10 e 15 mil casas no chão", afirmou. Ele também voltou a pedir o apoio dos veículos de comunicação para divulgação das necessidades de donativos como água potável, colchões, roupas e abrigos. Saiba como doar

* Com informações das agências Estado e Reuters

FOTOS DA DESTRUIÇÃO EM ALAGOAS

    Leia tudo sobre: chuvaspernambucoalagoasmortosenchentes

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG