Governo investe R$ 13 mi em armas não-letais

BRASÍLIA - O governo federal assinou nesta terça-feira, por meio do Ministério da Justiça, um convênio com polícias estaduais para a aquisição de quatro mil armas não-letais. Ao todo, foram investidos R$ 13 milhões na compra. Para o ministro Tarso Genro, a ação poderá evitar casos como o da morte do torcedor do São Paulo, em Brasília, após ser atingido por uma coronhada de um policial militar.

Caroll Andrade e Sarah Barros- Santafé Idéias |

Vivemos em um sistema de segurança pública que tem que ser superado. O episódio ocorrido no estádio Bezerrão (DF) aconteceu, pois o policial estava portando uma arma letal em um momento de agitação de massa e isso poderia ter sido evitado, reconheceu.

Nilton Cesar de Jesus morreu após ser atingido por uma coronhada de um sargento da Polícia Militar do Distrito Federal. A avaliação médica indica que a morte foi ocasionada pelo golpe e não pelo tiro que teria disparado acidentalmente da arma automática que o policial portava. O ministro também apontou falta de treinamento como causa do erro policial. Mas não é culpa nem do comandante da polícia e muito menos do jovem que faleceu, ponderou Tarso.

Das quatro mil armas não-letais encomendadas, três mil serão repassadas para a Força Nacional de Segurança Pública e as outras mil, para os 19 Estados que fazem parte do Programa Nacional de Segurança com Cidadania (Pronasci).

Bafômetros

O governo federal também assinou acordos para a aquisição de 10 mil novos bafômetros. Três mil serão repassados para a Polícia Rodoviária Federal (PRF), sendo que 600 medidores de teor de álcool no sangue já estarão em uso durante as operações de fiscalização das festas de fim de ano e da próxima Operação Verão. O objetivo é aumentar o rigor na fiscalização do cumprimento da Lei Seca, que aumentou as penalidades para motoristas embriagados.

Leis duras favorecem a segurança no trânsito, mas só isso não basta. É preciso aparelhar os órgãos de fiscalização e é isso que está acontecendo hoje, afirmou o inspetor da Polícia Rodoviária Federal, Alexandre Castilho. Segundo ele, atualmente a PRF conta apenas com 500 bafômetros.

Os demais sete mil bafômetros serão encaminhados para os Estados que fazem parte do Pronasci. A previsão é que todos cheguem aos seus destinos até dezembro de 2009. O Estado de São Paulo irá receber a maior quantidade, contabilizando 1.535 aparelhos. O Amapá receberá o menor reforço, com 78.

Helicópteros

Os convênios incluem ainda a compra de 12 helicópteros para reforço nas atividades policiais e assistenciais, em caso de catástrofe. O Rio Grande do Sul vai receber duas aeronaves por sediar o centro de formação aero policial. Os demais helicópteros serão distribuídos entre 11 Estados.

O Ministério da Justiça investirá R$ 139,5 milhões em todos estes equipamentos de segurança pública. Segundo o órgão, os investimentos contemplam um dos principais eixos do Pronasci que é o reaparelhamento das instituições de segurança pública do País.

Leia mais sobre: segurança

    Leia tudo sobre: segurança

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG