Governo fracassa em evitar investigação da Petrobras

Rio de Janeiro, 16 mai (EFE).- O Governo fracassou em sua tentativa de evitar a criação de uma comissão no Senado que busca investigar supostas irregularidades nas contas da Petrobras, informaram hoje fontes parlamentares.

EFE |

A comissão foi criada na manhã da sexta-feira por pedido de 32 dos 81 senadores, na maioria da oposição, e o Governo tinha prazo de até meia-noite para tentar convencer pelo menos seis senadores a retirar o apoio à iniciativa.

Apesar da campanha do ministro da Secretaria de Relações Institucionais, José Mucio Monteiro, para que os aliados do Governo no Congresso se esforçassem em convencer seus filiados a retirar as assinaturas, no final do dia, apenas dois senadores aceitaram desistir.

A criação da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) no Senado exige o apoio de pelo menos 27 senadores, e a oposição conseguiu instalá-la com o apoio de 30 assinaturas, segundo a mesa de direção do Congresso.

A criação da comissão representa uma dura derrota para o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que é contra que as contas da Petrobras sejam investigadas, com o argumento de que a ação do legislativo pode paralisar ou atrasar decisões na empresa.

Lula chegou a tachar os senadores que apoiaram a investigação de "irresponsáveis" e "pouco patrióticos", segundo declarações na sexta-feira, antes de iniciar uma viagem que o levará a Arábia Saudita, China e Turquia.

Segundo o PSDB, recentes investigações da Polícia Federal e do Ministério Público mostraram indícios de irregularidades na administração da Petrobras.

Entre as denúncias que serão investigadas, estão suspeitas de irregularidades na distribuição de royalties a municípios.

Os senadores também pretendem investigar uma suposta manobra contábil da empresa para evadir cerca de R$ 3 bilhões em impostos.

Outra denúncia, também objeto de uma investigação da Polícia Federal, é sobre supostas fraudes nas licitações para a reforma de quatro plataformas marinhas de exploração de petróleo.

A bancada governista alega que essas denúncias podem ser esclarecidas sem necessidade de uma CPI pelo presidente da Petrobras, José Sérgio Gabrielli, que poderia ser convocado ao Senado para que se pronuncie sobre as acusações. EFE cm/an

    Leia tudo sobre: cpi

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG