Diante das chuvas que já vitimaram mais de 100 pessoas no Rio de Janeiro, o governo federal anunciou a construção de 4.080 casas no estado. Foi uma das medidas acertadas entre o governador Sérgio Cabral, o ministro da Integração Nacional João Santana e onze prefeitos das cidades afetadas pela tragédia.

Arte iG

O governador disse que o ministério da saúde vai distribuir 70 mil kits com roupas e alimentos para a população afetada pelas chuvas. A distribuição, segundo ele, será feita pela Secretaria de Saúde e pela Vigilância Sanitária. Cabral disse que outra ação do estado visa controlar doenças como hepatite e leptospirose, com reforços de equipamentos e medicamentos nas unidades de saúde e a disponibilização de ambulâncias cedidas pelo governo federal.

A reunião começou na manhã desta quarta-feira e continua ao longo da tarde na sede da prefeitura de Niterói. Além do prefeito de Niterói, Jorge Roberto Silveira, participaram também os prefeitos de Tanguá, Itaboraí, Rio Bonito, Nilópolis, Petrópolis, Araruama, Cachoeiro de Macacu, Saquarema, São Gonçalo e Magé.

Silveira afirmou que o ministro da integração pediu que as autoridades entreguem nas próximas horas um levantamento de todas as necessidades causadas pelas chuvas. Somente para a desapropriação de residências em áreas de risco em Niterói, Silveira estima que serão necessários R$ 15 milhões. A prefeitura identificou a necessidade de deslocar 320 famílias de suas casas.

Niterói é a cidade mais afetada pelas chuvas. Até agora foram resgatados 54 corpos e muitos continuam sob escombros, pois não há bombeiros em número suficiente para retirar as vítimas dos deslizamentos.

Dia de caos

Na terça-feira, o Rio de Janeiro viveu um dia de caos. Além das mortes registradas, a maioria das vítimas de deslizamento de terra, 202 pessoas ficaram feridas após uma forte chuva que atingiu o Estado.

As aulas foram suspensas, serviços públicos tiveram o expediente cancelado, o aeroporto Santos Dumont ficou fechado durante boa parte da manhã e empresas cancelaram a venda de bilhetes com destino para o Rio.

Esta é considerada a pior chuva já vista no Rio de Janeiro . Em 24 horas, o número de mortos superou o registrado nos quatro meses de verão em São Paulo.


Dramas e relatos

Leia também:

Leia mais sobre: chuvas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.