Governo estuda mudanças no serviço militar obrigatório, diz Mangabeira

BRASÍLIA - O ministro extraordinário de Assuntos Estratégicos, Mangabeira Unger, disse nesta quarta-feira que o governo está discutindo a necessidade de manter o serviço militar obrigatório. Segundo ele, há um consenso entre civis e militares de que devemos preservar o serviço militar obrigatório. A justificativa é que num país desigual como o Brasil o serviço militar poderia funcionar como um nivelador republicano. Ele é um espaço no qual a Nação pode se encontrar acima das classes, afirmou Mangabeira.

Agência Brasil |

Entre as hipóteses em estudo, está a manutenção do atual sistema e também tornar o serviço militar efetivamente obrigatório. Caso o serviço militar se torne efetivamente obrigatório, a seleção será feita pelas próprias Forças Armadas. Essa seleção teria dois grandes critérios: o do vigor físico e da capacidade intelectual e o critério de representação de todas as classes e de todas as regiões do país", explicou.

O ministro também disse que há possibilidade de se criar um serviço social obrigatório para aqueles que forem dispensados do serviço militar. "Nele, o jovem receberia um treinamento militar rudimentar para poder compor uma força de reserva capaz de ser mobilizada em circunstâncias de emergência nacional ou mundial", disse.

Mangabeira participa de audiência pública na Comissão de Relações Exteriores da Câmara dos Deputados, que, pouco antes, ouviu o ministro da Defesa, Nelson Jobim.

Leia mais sobre: serviço militar

    Leia tudo sobre: brasiliabrasília

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG