Governo espera até maio para decidir se reduz superávit primário

BRASÍLIA (Reuters) - O governo deve esperar até o final de maio para definir eventuais cortes na meta de superávit primário para 2009, disse uma fonte da Presidência da República. Vamos esperar os próximos dois resultados da arrecadação para decidirmos, disse a fonte à Reuters, nesta sexta-feira, sob condição de anonimato .

Reuters |

O objetivo, explicou, é observar o comportamento da arrecadação federal para, então, definir a conveniência de o governo explicitar a intenção de fazer uma economia menor este ano.

Nos primeiros dois meses do ano, a arrecadação federal caiu 9 por cento em termos reais frente a 2008. Nos 12 meses até fevereiro, o superávit primário ficou em 3,58 por cento do Produto Interno Bruto, abaixo da meta para o ano de 3,8 por cento.

A equipe econômica já sinalizou que pode usar a prerrogativa de levar a meta a 3,3 por cento do PIB, direcionando gastos equivalentes a 0,5 ponto do PIB para investir em projetos prioritários, o chamado PPI.

A legislação brasileira já prevê essa margem de corte desde 2005, mas nunca foi utilizada pelo governo, sempre acima do alvo fiscal.

"Não precisamos ficar em 3,3", completou a fonte. "Se precisar, vai a menos do que isso."

Muito polêmico no passado, o debate sobre redução da meta primária está cada dia mais pacificado. O argumento recorrente do governo é de que a trajetória de queda da Selic está criando o ambiente necessário para eventuais cortes da meta fiscal.

(Por Natuza Nery)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG