O Palácio Piratini reagiu ao anúncio de que o Ministério Público Federal está movendo uma ação civil de improbidade administrativa contra a governadora do Rio Grande do Sul, Yeda Crusius (PSDB), divulgando uma nota na noite desta quarta-feira na qual se diz estarrecido pela iniciativa dos procuradores da República, que, com perversidade, não deram a conhecer os elementos da ação para que os citados publicamente pudessem se defender. O texto diz que no anúncio do Ministério Público foram chamados precipitadamente de réus a governadora e outros cidadãos brasileiros sem que qualquer ação penal tenha sido ajuizada.

Afirma que "no entendimento do Supremo Tribunal Federal nem caberia ajuizamento da ação de improbidade administrativa contra a governadora, agente político que é".

Sustenta, ainda, que "certamente, os membros do Ministério Público Federal não desconhecem esse entendimento e, portanto, excederam-se ao ajuizar uma ação visivelmente inadequada".

Leia mais sobre: Yeda Crusius

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.