Governo derruba mais um requerimento sobre caso Dilma-Lina

A Comissão de Constituição e Justiça da Câmara dos Deputados rejeitou nesta quarta-feira requerimento da oposição que pretendia convocar o ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), General Jorge Armando Félix, para discutir sobre sistema de segurança do Palácio do Planalto.

Sarah Barros, repórter em Brasília |

Ao defender o requerimento, o deputado Mendonça Prado (DEM-SE), afirmou que a convocação de Félix poderia tirar dúvidas sobre suposto encontro entre a ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, e a ex-secretária da Receita Federal, Lina Vieira. A ministra nega o encontro, mas Lina afirma que, na reunião, Dilma pediu agilidade em processo relacionado a empresa de filho do presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP). Precisamos da presença para do general para esclarecer dúvidas, disse.

Também em defesa da aprovação do requerimento, o deputado Onyx Lorenzoni (DEM-RS) declarou que não se trata de estratégia política para denegrir Dilma, mas sim avaliar porque o sistema de segurança do Planalto não grava imagens das pessoas que entram nas dependências.

A licitação de compra de equipamentos explicitou que as imagens do sistema de segurança deveriam ser armazenáveis. Mas em resposta ao líder do DEM na Câmara, esse mesmo general disse que esse sistema não existe, argumentou.

O deputado José Genoíno (PT-SP) defendeu o arquivamento do requerimento. Para ele, a iniciativa da oposição visa antecipar disputa eleitoral. A Comissão de Constituição e Justiça não pode ser palanque para pré-campanha. Se for para ser palanque, vamos discutir projetos de governo, afirmou.

Genoíno citou tentativas da oposição de aprovar requerimentos semelhantes em outras comissões. O petista contabilizou oito, sendo que duas já tinham sido rejeitadas. Os requerimentos que justificam convocação ou convite têm que estar vinculado a algo razoável, destacou. Genoíno disse ainda que Félix já compareceu ao Senado para explicar o sistema e se colocou a disposição para receber parlamentares de oposição e do governo para fazer esclarecimentos.

Leia mais sobre Dilma-Lina

    Leia tudo sobre: dilma

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG