Governo de MG negocia empréstimo de R$ 1,1 bi do Bird

O governo de Minas Gerais espera receber este ano cerca de R$ 1,1 bilhão como parte de um financiamento acertado com o Banco Mundial (Bird) para investimentos em áreas como infra-estrutura, saúde, educação e meio ambiente, disse hoje, em Washington, o governador Aécio Neves (PSDB). Aécio, que viajou para a capital dos Estados Unidos com o objetivo de participar de um seminário e discutir o financiamento do Bird, informou também que o governo de Minas distribuirá, em 2008, aproximadamente, R$ 240 milhões aos funcionários públicos estaduais a título de bônus aos setores que cumprirem metas fixadas pelo plano de gestão.

Agência Estado |

O empréstimo pedido pelo governo do Estado, num total de US$ 976 milhões, não prevê contrapartida financeira e tem como base compromissos e metas firmadas no início de 2007 para os cinco anos seguintes. Ele apresentou ao banco o planejamento das ações para cada área de atuação e aguarda em maio a assinatura do contrato de financiamento. O programa de pavimentação e ligação asfáltica entre pequenas cidades do Estado - o Proacesso - deverá ser o principal contemplado com recursos.

"No próximo dia 1º, há a formalização por parte do boarding do banco e, nessa primeira semana de maio, a diretoria do banco estará em Minas Gerais para definir o desembolso. Nós esperamos receber cerca de R$ 500 milhões ainda no primeiro semestre deste ano e cerca de R$ 600 milhões no segundo semestre."

Segundo Aécio, as verbas da instituição financeira estrangeira complementarão o financiamento estadual de projetos que já são adotados. "Eles serão utilizados, fundamentalmente, na conclusão do Proacesso", observou. O governador de Minas Gerais - que tirou proveito da viagem à capital dos EUA para fazer publicidade do chamado choque de gestão do governo estadual - afirmou acreditar que o "inédito" modelo de financiamento acertado com o Bird poderá ser usado por outros Estados e até países. Aécio lembrou que a contrapartida da operação é a melhoria dos "indicadores econômicos e sociais" e os parâmetros "de qualidade na gestão pública" do governo mineiro.

Bônus

O governador de Minas destacou que o bônus a ser oferecido para os funcionários públicos faz parte dessa nova visão de administração estadual. "Acabamos com o crescimento passivo da folha salarial através dos biênios, qüinqüênios, trintenários, portanto, o crescimento vegetativo da folha, e introduzimos esse bônus que é dado em função do resultado alcançado por área da administração pública", disse.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG