BRASÍLIA ¿ O ministério da Saúde informou nesta terça-feira que 94 novos casos de infecção por ¿gripe suína¿ (http://ultimosegundo.ig.com.br/mundo/2009/04/30/oms+decide+mudar+nome+da+gripe+suina+5867916.htmlrebatizada de A H1N1 pela Organização Mundial de Saúde) foram confirmados no País. Com os novos casos, o total acumulado de confirmados no Brasil chega a 334.

Desse total, 50 casos foram confirmados em São Paulo, 17 em Minas Gerais, 13 no Rio de Janeiro, quatro em Santa Catarina, dois na Bahia, dois no Espírito Santo, dois no Paraná, um em Alagoas, um em Goiás, um no Rio Grande do Sul e um em Sergipe.

De acordo com o último boletim divulgado pelo ministério da Saúde, para todos os casos estão sendo realizados busca ativa e monitoramento de todas as pessoas que estabeleceram contato próximo com esses pacientes. Dos casos confirmados, dois pacientes do Rio Grande do Sul estão internados.

O Ministério da Saúde acompanha ainda 218 casos suspeitos no país. As amostras com secreções respiratórias dos pacientes estão em análise laboratorial. Além disso, até o momento, 656 casos foram descartados.

Recomendações

Nesta terça, o ministro da Saúde, José Gomes Temporão, recomendou que a população  adie eventuais viagens para países onde circula o vírus da "gripe suína".

A recomendação é válida, principalmente, para pessoas maiores de 60 anos, crianças até 2 anos de idade e pacientes que passam por tratamento imunodepressivo, como os que fazem quimioterapia para o tratamento de câncer e Aids.

Segundo o ministério, contribuem para a incidência da doença o período de férias escolares; o início do inverno no hemisfério sul; o aumento do fluxo de viajantes para os países com transmissão sustentada (Estados Unidos, México, Canadá, Chile, Argentina e Austrália) e o aumento de casos importados no Brasil.

Se não for possível adiar a viagem, o Ministério da Saúde recomenda que sejam adotadas as medidas de prevenção disponíveis no site do órgão.

Escolas fechadas

Ao falar sobre o fechamento de escolas em São Paulo , por conta da doença, o ministro da Saúde recomendou que nenhuma atitude seja tomada sem que antes as autoridades sanitárias sejam consultadas. "É compreensível que pais e professores se sintam inseguros, mas é preciso consultar as autoridades".

Em Belo Horizonte, o colégio Marista Dom Silvério suspendeu as aulas de uma classe após a confirmação da doença em dois alunos de 8 anos e uma professora.

Sobre a cidade gaúcha de São Gabriel, onde o prefeito decretou estado de emergência por causa da "gripe suína" , suspendendo aulas em todas as escolas e proibindo eventos com aglomeração de pessoas, como festas e shows, o ministro disse que a decisão do prefeito foi por conta própria e não houve consulta ao Ministério da Saúde. "Estamos acompanhando este caso de perto, mas a situação está sob controle", disse o ministro.

Cerca de 500 alunos do ensino médio e pré-vestibular do colégio Anglo Cassiano Ricardo, em Taubaté, interior de São Paulo, tiveram as aulas suspensas após a confirmação de um caso de "gripe suína" entre os alunos. 

Segundo informações da escola, os pais do aluno e o irmão também foram infectados pela doença. Eles tiveram contato com uma pessoa que voltou da Argentina recentemente e também teve o diagnóstico da doença confirmado.

A doença no mundo

De acordo com informações dos governos e da Organização Mundial de Saúde (OMS), até o momento 100 países têm casos confirmados e divulgados da doença.

Do total de países, 35 têm casos autóctones: na Europa (Áustria, Bélgica, Dinamarca, Estônia, França, Alemanha, Hungria, Islândia, Irlanda, Itália, Holanda, Noruega, Polônia, Portugal, Romênia, Eslováquia, Espanha, Suécia, Suíça e Reino Unido); nas Américas (Argentina, Brasil, Chile, Colômbia, Costa Rica, Equador, Estados Unidos, Guatemala, México, Panamá, Peru e Uruguai); na Ásia (Japão); África (Egito) e na Oceania (Austrália).

Segundo a OMS, Estados Unidos, México, Canadá, Austrália, Chile e Argentina são considerados os países com transmissão sustentada.

* Com informações da Agência Brasil

Veja também:

Leia mais sobre: gripe suína

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.