Governo condiciona reajuste de aposentados à proposta única de centrais

BRASÍLIA - O presidente Luiz Inácio Lula da Silva só vai negociar reajuste para os aposentados e pensionistas que ganham mais de um salário mínimo se as centrais sindicais chegarem a uma posição comum. A informação é de sindicalistas que reuniram-se com Lula na noite de nesta quinta-feira(12), no Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB), em Brasília.

Agência Brasil |

O governo e as maiores centrais sindicais, entre elas a Força Sindical e a Central Única dos Trabalhadores (CUT), fecharam um acordo para o reajuste, em agosto, que previa a reposição da inflação mais a metade do Produto Interno Bruto (PIB) dos dois anos anteriores, o que significaria um ganho real de 6%.

O problema é que centrais sindicais menores não aceitam a proposta do governo, como a Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB), e têm pressionado para que os aposentados tenham o benefício reajustado pelo mesmo índice aplicado ao salário mínimo, que dá mais de 8% de aumento.

O presidente disse que não dá para fazer uma proposta ainda porque as centrais sindicais não têm posição comum. Pediu para a gente voltar a se reunir, entre nós, e chege a um entendimento, afirmou o deputado federal Paulo Pereira (PDT-SP), presidente da Força Sindical.

Mais cedo, o líder do governo na Câmara dos Deputados, Henrique Fontana (PT-RS), avisou que a decisão sobre o reajuste dos aposentados que recebem mais de um salário mínimo será tomada somente depois da votação dos quatro projetos de lei que tratam da exploração do petróleo na camada pré-sal.

Para o presidente CUT, Artur Henrique, a prioridade das centrais é garantir o reajuste do salário mínimo acima da inflação, a partir de janeiro de 2010.

Leia mais sobre reajuste de aposentados



    Leia tudo sobre: aposentadoriacâmarareajuste

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG