Governo Chávez relança jornal criado por Simón Bolívar em 1818

El Correo del Orinoco, diário criado em 1818 pelo herói da independência Simón Bolívar, chegou de novo às bancas de Caracas neste domingo, por iniciativa do presidente da Venezuela, Hugo Chávez, que o concebe como uma ferramenta em sua guerra contra a mídia.

AFP |

"Devemos nos deixar guiar pelo princípio que expressava o Libertador Simón Bolívar na primeira edição do Correo del Orinoco: somos livres, escrevemos num país livre e não nos propomos enganar o público", assinalou o presidente Hugo Chávez no primeiro editorial do periódico.

O novo Correo del Orinoco circulará diariamente, com edição de 50.000 exemplares e preço de um bolívar (0,46 dólar).

O original Correo del Orinoco foi criado por Simón Bolívar e circulou de 1818 a 1822 para promover a luta pela independência. Colaboraram pensadores de renome, divulgando também artigos da imprensa internacional.

Segundo Chávez, a ideia que motivou o nascimento do jornal há quase dois séculos foi "praticar um jornalismo diferente ao falaz e infame da Gazeta de Caracas", periódico leal à causa espanhola, e esta motivação "está em plena vigência" atualmente.

O presidente venezuelano acusa a imprensa local de agir como partido de oposição, tendo como objetivo derrubar seu governo.

Recentemente, 32 emissoras de rádio perderam a licença para transmitir por decisão do governo e outras 200 poderão incorrer na mesma sorte, se comprovadas irregularidades administrativas em sua gestão.

Ao mesmo tempo, o canal de televisión Globovisión, muito crítica ao governo, vem sendo objeto de vários processos administrativos que poderão levá-lo a perder a concessão.

bl/jb/sd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG