Governo central volta ao superávit em julho, mas abaixo de 2008

BRASÍLIA (Reuters) - O governo central voltou a registrar superávit primário em julho, depois de dois meses de salto negativo, mas o desempenho fiscal continua bem abaixo do visto no ano passado, segundo dados do Tesouro Nacional divulgados nesta quarta-feira. O superávit primário do governo central, composto por Tesouro, Previdência e Banco Central, foi de 1,439 bilhão de reais no mês passado, frente a um déficit de 615,8 milhões de reais em junho.

Reuters |

Na comparação com julho de 2008, quando o superávit primário totalizou 7,202 bilhões de reais, houve forte queda.

A cifra acumulada no ano também mostra queda significativa do saldo positivo. De janeiro a julho, o superávit foi de 20,084 bilhões de reais, o equivalente a 1,17 por cento do Produto Interno Bruto (PIB), ante 68,580 bilhões de reais, ou 4,16 por cento do PIB, em igual período de 2008.

Mesmo assim, o secretário do Tesouro Nacional, Arno Augustin, demonstrou otimismo para os próximos meses.

"Voltamos a ter um resultado primário positivo. Estamos satisfeitos com isso e entendemos que isso é uma tendência para o próximo período, na medida em que a economia está retomando a sua normalidade", afirmou o secretário a jornalistas.

Segundo ele, a queda do superávit primário em relação a julho do ano passado é produto das políticas do governo para combater os efeitos da crise financeira global, como desonerações tributárias e aumento de gastos e investimentos.

Além disso, complementou, fatores sazonais influenciaram a queda da arrecadação de impostos e o aumento das despesas com pessoal. Augustin disse ainda que o governo federal aumentou os repasses a Estados e municípios no primeiro semestre, o que não deve ocorrer na segunda metade de 2009.

"Reitero minha projeção para o ano de que as despesas de capital vão fechar o ano crescendo mais do que as despesas de custeio", destacou.

A receita total do governo central caiu 1,5 por cento de janeiro a julho, para 401,680 bilhões de reais, enquanto as despesas aumentaram 15,9 por cento, a 309,136 bilhões de reais.

META

O secretário disse também que o governo central está próximo da meta de superávit primário definida para os dois primeiros quadrimestres do ano.

Se os 4,9 bilhões de reais do Projeto Piloto de Investimentos (PPI) fossem abatidos da conta, acrescentou, a meta teria sido superada.

"Estamos próximos do atingimento da meta... A intenção do governo no ano é de trabalhar com a meta sem o PPI", ponderou.

A meta de superávit primário do governo central para 2009 como um todo é de 42,7 bilhões de reais.

(Reportagem de Fernando Exman)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG