rebatizada de gripe A). Isso deverá reduzir em pelo menos um ano o prazo para a eventual disponibilização do produto, que está em fase inicial de pesquisa no mundo." / gripe suína - Brasil - iG" / rebatizada de gripe A). Isso deverá reduzir em pelo menos um ano o prazo para a eventual disponibilização do produto, que está em fase inicial de pesquisa no mundo." /

Governo autoriza fabricação de vacina contra gripe suína

SÃO PAULO - O governo brasileiro autorizou nesta quinta-feira previamente a fabricação, distribuição e comercialização no País de uma vacina contra a gripe suína (http://ultimosegundo.ig.com.br/mundo/2009/04/30/oms+decide+mudar+nome+da+gripe+suina+5867916.html target=_toprebatizada de gripe A). Isso deverá reduzir em pelo menos um ano o prazo para a eventual disponibilização do produto, que está em fase inicial de pesquisa no mundo.

Redação com Agência Estado |

No entanto, o Ministério da Saúde informou ter decidido que, no momento, dará prioridade à importação de imunizantes produzidos por multinacionais. A pasta não vai investir agora na fabricação de uma vacina nacional pela Fundação Butantã, pois defende que ela priorize a produção da vacina contra a gripe comum, que está atrasada.

A fundação, ligada ao governo estadual de São Paulo, é o único laboratório público que tem uma fábrica de vacina contra a influenza sazonal no País, investimento de R$ 54 milhões do Estado e União, mas ela ainda não está produzindo por causa de atrasos nos cronogramas das obras. O objetivo era que, com a planta, o País tivesse alcançado a autossuficiência destas vacinas em 2008. A doença gera 500 mil mortes anuais no mundo.

O secretário de Ciência e Tecnologia do ministério, Reinaldo Guimarães, destacou que ainda é controversa a fabricação da nova vacina e que podem ocorrer problemas. Nós entendemos que isto pode demorar. O Butantã recebeu recursos muito importantes para produzir a vacina sazonal, e ele está atrasado, então a posição é que ele tem de continuar o processo. Com relação à vacina de 'gripe suína', o ministério vai comprar de produtores que oferecerem, se ela aparecer, disse Guimarães.

Quando o Butantã tiver isto com velocidade de cruzeiro, vamos examinar. Ele é uma instituição de primeiríssima qualidade. No Brasil, o que se fizer em influenza, é do Butantã, completou. A reportagem não localizou representantes da fundação para comentar. O presidente do órgão, Isaías Raw, vinha defendendo a priorização da vacina contra o novo vírus.

Segundo a resolução da diretoria colegiada da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), a autorização prévia para a nova vacina só vale para detentores de registro de vacinas contra o vírus da gripe no Brasil, que tenham fábricas do produto e para produção a partir da cepa do novo vírus fornecida pela Organização Mundial da Saúde.

Além disso, a agência deverá ser comunicada após o recebimento da cepa. Nesta quarta, a agência liberou, para laboratórios do Rio e São Paulo, os primeiros kits de diagnóstico da nova doença, que deverão elucidar casos suspeitos. Os resultados devem sair em 72 horas, a partir do início das análises.

Casos suspeitos

Diminuiu, pela primeira vez, o número de casos suspeitos de gripe suína no Brasil. O número, que era 28, agora é de 26 suspeitas, de acordo com o último boletim do Ministério da Saúde, divulgado na quarta-feira. Também caiu o número de casos monitorados, que era 28 e agora é 15.

Os casos suspeitos estão nos Estados de São Paulo (9), Rio de Janeiro (3), Distrito Federal (2), Goiás (2), Santa Catarina (2), Tocantins (2), Mato Grosso do Sul (1), Minas Gerais (1), Paraíba (1), Paraná (1), Pernambuco (1) e Rondônia (1). No total, já foram descartados 99 casos até as 9h30 desta quarta-feira.

(Com informações do jornal "O Estado de S. Paulo")

Leia também:

Entenda a "gripe suína"

Leia mais sobre: gripe suína

    Leia tudo sobre: gripe suína

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG