BRASÍLIA - O presidente Luiz Inácio Lula da Silva determinou nesta segunda-feira que os ministros da Justiça, Tarso Genro, e das Relações Institucionais, José Múcio Monteiro, articulem junto ao Congresso a aprovação do projeto de lei que trata dos grampos telefônicos. Segundo informou a assessoria do Planalto, Lula deseja que o projeto seja prioridade das Casas (Câmara e Senado) no segundo semestre.




EFE
Lula quer prioridade na votação da lei

Durante a reunião de coordenação política, o presidente Lula ouviu relatos dos ministros de que, apesar dos grampos serem uma forte ferramenta de investigação, devem ser feitos apenas com autorização judicial.

O projeto, que estabelece critérios para o uso de escutas telefônicas, espera há sete meses para ser incluído na pauta de votações do plenário da Câmara.

Na semana passada, Múcio e Genro criticaram publicamente o alto número de grampos telefônicos. Na ocasião, Múcio afirmou que seu celular era como se fosse uma "radio comunitária", enquanto Genro reclamou que ninguém mais tem segurança de falar ao telefone.

O assunto foi tratado durante a reunião da coordenação política do governo, conduzida por Lula durante a manhã destasegunda-feira. Participaram da reunião o vice-presidente da República José Alencar, os ministros Dilma Rousseff (Casa Civil), Paulo Bernardo (Planejamento), Tarso Genro, Luiz Dulci (Secretaria Geral da Presidência), José Múcio Monteiro (Relações Institucionais), Franklin Martins (Comunicação Social) e Guido Mantega (Fazenda).

Leia também:

  • CPI dos Grampos ouvirá Dantas, Protógenes e Sanctis
  • Jungmann nega que projeto contra abuso de autoridade seja lei da mordaça

Leia mais sobre: Grampos

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.