MADRI ¿ O governo regional da Andaluzia (sul da Espanha) anunciou que abrirá a cova comum que contém os restos mortais do poeta Federico García Lorca, caso a família do escritor não manifeste oposição.

O departamento de justiça do governo andaluz decidiu "submeter a informação pública a solicitação para a exumação dos restos de vítimas executadas durante a guerra civil", enterradas nas covas localizadas nas proximidades de Alfacar, perto de Granada. Os interessados terão 15 dias para apresentar alegações.

A família de García Lorca se opôs até o momento à abertura da cova do poeta (1898-1936), na qual estaria ao lado de um professor e de dois anarquistas fuzilados no mesmo momento que ele pelos franquistas, em agosto de 1936, um mês depois do início da guerra civil espanhola (1936-1939).

No entanto, a neta de García Lorca e porta-voz da família, Laura García Lorca, declarou ao jornal El País que no momento não serão realizados movimentos que impeçam ou dificultem o processo.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.