Governo alemão condena ataque a caricaturista de Maomé

Berlim, 3 jan (EFE).- O ministro de Assuntos Exteriores alemão, Guido Westerwelle, condenou hoje o fracassado atentado contra o chargista dinamarquês Kurt Westergaard, cometido por um suposto terrorista islâmico que pretendia se vingar pelas caricaturas do profeta Maomé publicadas há cinco anos.

EFE |

"Condeno esta tentativa de assassinato da maneira mais drástica", afirmou Westerwelle, em comunicado.

"A liberdade da arte e da cultura são dois pilares de nossa comunidade de valores", acrescentou o ministro.

Westergaard conseguiu escapar, segundo suas próprias declarações ao jornal "Jyllands-Posten", "por um fio" do ataque de um somali de 28 anos que entrou na sexta-feira à noite na casa do chargista armado com um machado e uma faca, e gritando palavras como "sangue" e "vingança".

Segundo o relato policial, o chargista conseguiu se esconder em um banheiro que transformou em uma espécie de bunker de segurança desde que começou a receber ameaças contra sua vida, e chamou a Polícia, que feriu o agressor com vários disparos.

As autoridades dinamarquesas consideram que, por trás do atentado fracassado, há um "cenário terrorista". EFE rz/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG