Governo ajudará Estados para financiar investimentos, diz Dilma

BELO HORIZONTE (Reuters) - A ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, afirmou nesta sexta-feira que o governo irá compensar perdas dos Estados por conta da arrecadação menor, mas não irá financiar as despesas com custeio dos executivos locais. Nós iremos financiar uma diferença (em relação à redução nos repasses) que ainda não está determinada, que eu não posso antecipar qual é. Uma diferença determinada para os Estados, a título de financiamento do investimento. Não é para usar em custeio, afirmou Dilma em entrevista a jornalistas.

Reuters |

A exemplo do que ocorreu com os municípios, Estados brasileiros também exigem do governo federal medidas que aliviem seus caixas, impactados pela queda de repasse do Fundo de Participação dos Estados (FPE).

Dilma comentou as alterações na poupança em estudo pelo governo. Devido à tendência de queda da Selic, o Executivo quer evitar uma migração de investimentos em renda fixa para a poupança.

"Nós não podemos confundir poupança com investimento. É essa a preocupação do governo", disse.

"Poupança é poupança, investimento é investimento", acrescentou.

Dilma passou a sexta-feira na capital mineira, onde, segundo um líder petista local, tenta ganhar mais visibilidade no segundo maior colégio eleitoral do país. A ministra, que nasceu em Minas Gerais mas depois foi morar no Rio Grande do Sul, é a escolhida do presidente Luiz Inácio Lula da Silva para disputar a eleição de 2010 pelo PT.

O governador de Minas Gerais, Aécio Neves, disputa a indicação do PSDB para a corrida presidencial com o governador de São Paulo, José Serra.

Dilma se reuniu com empresários, visitou obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) e à noite participará de um seminário promovido por uma entidade ligada ao PT para debater os efeitos da crise financeira global.

(Reportagem Marcelo Portela)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG