Governadores e prefeitos pedem apoio logístico ao governo federal

Cidades precisam de ajuda nas ações de resgate de vítimas, distribuição de donativos e reconstrução da infraestrutura

Agência Brasil |

Governadores e prefeitos das áreas atingidas pelas chuvas no Nordeste aproveitaram a visita do ministro da Defesa, Nelson Jobim, para pedir apoio logístico ao governo federal nas ações de resgate de vítimas, distribuição de donativos e reconstrução da infraestrutura.

Nesta quarta-feira (23), após sobrevoar as áreas atingidas pelas enchentes em Pernambuco, o ministro e o governador do Estado, Eduardo Campos, se reuniram com os prefeitos dos municípios de Catende, Otacílio Carneiro, Palmares, José Bartolomeu de Almeida Neto e representantes da Defesa Civil. Durante o encontro, os prefeitos pediram recursos e apoio para reconstrução das cidades.

Segundo Carneiro, o município de Catende, que fica a 142 quilômetros de Recife, está passando por uma situação muito difícil, pois há muita lama e entulho nas ruas. Além disso, a usina de cana de açúcar da cidade, que fica próxima ao leito do Rio Piranji, foi atingida e pode afetar economicamente a região da Zona da Mata Sul de Pernambuco.

“A usina está muito estragada. Nove municípios dependem dela, são quase 100 mil pessoas envolvidas com a usina. É preciso um investimento muito grande do governo federal, se não acaba com a região”, disse.

Para evitar maiores estragos no futuro, o governador Eduardo Campos informou que áreas ribeirinhas serão desapropriadas. “Com o apoio do Exército e de todos os órgão operativos do estado, já estamos com engenheiros percorrendo municípios necessitados onde as áreas serão desapropriadas até a próxima semana”.

Segundo ele, o trabalho de logística de distribuição de alimentos será feito com a ajuda da Polícia Militar e da Civil, do Exército e da Defesa Civil. “Nós temos compartilhado essa experiências com as forças do Ministério da Defesa, que têm uma grande experiência em outros momentos como esse de calamidade. Tiveram experiências em Santa Catarina, no Maranhão, no Rio de Janeiro”, afirmou Campos.

O governador de Alagoas, Teotônio Vilela Filho, também pediu ajuda a Jobim para restabelecer o acesso às cidades. Na terça-feira (22), eles sobrevoaram as áreas atingidas junto com a ministra do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Márcia Lopes. Segundo Vilela, o governo paralisou todas as obras do estado para atender às emergências. “Alagoas tem o mais baixo Índice de Desenvolvimento Humano mais baixo do País. Essa região atingida é a mais pobre do Estado. Precisamos de apoio para ajudar essas pessoas”.

Em Alagoas e Pernambuco, as estratégias iniciais estão concentradas no amparo às pessoas que perderam tudo o que possuíam. O ministro da Defesa informou que o governo federal vai contribuir com apoio logístico e envio de recursos. “Precisamos encontrar formas de transpor o problema. É necessário definir funções para supervisionar essas ações”.

Para Jobim, as pessoas que querem ajudar não podem se deixar envolver apenas por sentimentalismo. “Não é fácil nesses momentos lidar com a emoção. A solidariedade às vezes cria mais dificuldades e não gera soluções. Precisamos fazer com que a emoção estimule a ação”, afirmou.

    Leia tudo sobre: chuvasalagoaspernambucodestruição

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG