Governadora diz que prisão do filho pela PF foi ato de violência

NATAL - A governadora do Rio Grande do Norte, Wilma de Faria, disse que acredita na inocência do filho, o advogado Lauro Maia, acusado pela Polícia Federal de integrar um esquema fraudulento de licitações da Secretaria Estadual de Saúde, envolvendo cerca de R$ 36 milhões.

Agência Nordeste |

AE
Wilma de Faria acredita na inocência do filho
Wilma acredita na inocência do filho
Wilma de Faria avaliou que a Polícia Federal cometeu um ato de violência ao prender Lauro Maia em sua residência, na manhã da última sexta-feira. "Eu achei que houve um ato de muita violência. Ele tem endereço certo, poderia ter sido chamado para depor sem nenhum problema. Como mãe e cidadã espero a sua inocência", destacou.

A governadora disse que determinou aos profissionais que ocuparam a Secretaria de Saúde no período da investigação da Polícia Federal, de 2005 a 2008, no caso o ex-secretário Ruy Pereira e o atual Adelmaro Cavalcanti, a prestarem todos os esclarecimentos para a imprensa.

"Eles vão dar uma entrevista coletiva à imprensa amanhã [nesta terça, dia 17] explicando tudo que aconteceu em relação ao processo de higienização e limpeza [da Secretaria Estadual de Saúde]. Eles vão naturalmente falar sobre licitação, preço e tudo que for necessário esclarecer. Nosso Governo é transparente, aberto, sou uma pessoa de classe média, consegui romper e trilhar nesse Estado", ressaltou Wilma de Faria.

    Leia tudo sobre: wilma

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG