Governador Sérgio Cabral anuncia criação de policiamento comunitário na favela do Batan

RIO DE JANEIRO ¿ O governador do Rio de Janeiro Sérgio Cabral anunciou nesta quarta-feira que irá solicitar a criação do 2º Batalhão de Policiamento Comunitário na favela do Batan, situada em Campo Grande, zona oeste do Rio. O governante afirmou também que os policiais que vão trabalhar no local começarão a ser treinados.

Redação |

Acordo Ortográfico

Quem remunerará a Companhia de Policiamento Comunitário do Dona Marta e, amanhã, do Batan, será a Prefeitura do Rio de Janeiro conveniado com o Estado. Nesta tarde, a procuradora-geral do Estado, Lúcia Léa Guimarães, e o procurador designado pelo prefeito, Fernando Dionísio, se reunirão para definir o conteúdo deste convênio referente ao pagamento das gratificações ao PM. Este convênio será assinado assim que o prefeito eleito, Eduardo Paes, tomar posse. Esta decisão será apresentada na sexta-feira, relatou.

Cabral anunciou também o aumento na gratificação, de R$ 500 para R$ 1.000, para os agentes das tropas de elite das polícias civil e militar: a Coordenadoria de Recursos Especiais (Core) e o Batalhão de Operações Especiais (Bope). Cabral disse ainda que, a partir de janeiro, os policiais militares que irão trabalhar no policiamento comunitário do morro Dona Marta, em Botafogo, zona sul da cidade, também desfrutarão do mesmo benefício.

Ontem à noite, estive reunido com o prefeito eleito Eduardo Paes e com o secretário de Segurança José Mariano Beltrame. Achamos que o PM, pelo estresse de seu trabalho, deve ter uma remuneração adequada para que ele possa descansar melhor. Prefiro que, ao invés de comprar a folga e forçá-lo a mais horas de cargo e trabalho, que trabalhe com qualidade e eficiência, como é feito no mundo inteiro. O grande desafio do Rio é acabar com este vexame do Estado ter áreas ocupadas pelo o crime organizado, afirmou.

O governador informou que os policiais continuarão a trabalhar 24h por dia e folgando 48h. A novidade é que este extra será pago pela Prefeitura do Rio.

Alimentação

Cabral ainda comentou que o policial militar não deve cuidar da parte de alimentação no quartel e que a lógica da PM é ter um policiamento ostensivo. De acordo com ele, não há cabimento ter quase mil homens cuidando da alimentação dentro de seus quartéis, o policial ter que voltar neste local para se alimentar ou receber um alimento, às vezes, de categoria inferior de onde estiver trabalhando.

Damos o auxílio alimentação, não sei se tíquete, como estamos fazendo com a Polícia Civil, no próprio contracheque. A partir daí, ele se alimentará onde desejar. Com esta medida, o gasto irá expandir,  em pelo menos 25%, mas será muito melhor para a população, concluiu.

Obras do metrô

Sérgio Cabral deu, nesta quarta-feira, início às obras de construção do elevador que dará acesso do metrô à comunidade do Cantagalo, em Ipanema, zona sul do Rio. O governador também conferiu o andamento das obras de expansão da estação do metrô Ipanema/General Osório, que será concluída no dia 17 de dezembro de 2009.

Leia mais sobre: policiamento

    Leia tudo sobre: batandona martafavelametrôpoliciamentorio de janeiro

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG