Governador José Arruda não se pronuncia sobre operação da Polícia Federal

O governador do Distrito Federal, José Roberto Arruda, só vai se pronunciar depois de conhecer o inquérito da Polícia Federal que deu origem à Operação Caixa de Pandora.

Erika Klingl, iG Brasília |

A ação dos policiais resultou na apreensão, na manhã desta sexta-feira, de documentos e computadores em gabinetes, casas de deputados distritais, secretários do primeiro escalão e até no anexo da residência oficial do governador.

A assessoria do governador disse que o governo ainda não foi informado oficialmente sobre os objetivos da operação e que Arruda não estava na residência oficial no momento em que a Polícia Federal chegou ao local, em Águas Claras. Arruda não mora no local e hoje tirou o dia, de acordo com a assessoria, para fazer consultas na perna operada há 15 dias.

Os agentes chegaram por volta das 7h e apreenderam documentos em um anexo da residência oficial ocupado pelo chefe de Gabinete de Arruda, Fábio Simão. A assessoria ressaltou que a PF não entrou no gabinete de Arruda.

Leia também:

    Leia tudo sobre: polícia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG