BRASÍLIA - O governador de Roraima, José Anchieta Filho (PSDB), chamou o prefeito de Pacaraima, Paulo César Quartieiro de radical e disse não concordar com a afirmação dada por Quartieiro de que o povo de Roraima não cumprirá decisão do Supremo Tribunal Federal (STF).

"Ele [Quartieiro] gosta de potencializar tudo, isso [não cumprimento da lei] não irá acontecer", disse o governador, referindo-se à declaração dada por Quartieiro de que, mesmo após decisão contrária do STF o povo de Roraima não sairá das terras consideradas indígenas, de propriedade da União.

"Sou governador e como tal minha obrigação é manter a paz e e a ordem. Se o Supremo decidir que os arrozeiros e demais não-índios terão de sair, eles sairão", garantiu José Anchieta.

No intervalo da sessão do STF que julga a demarcação das terras da reserva Raposa Serra do Sol, o prefeito de Pacaraima advertiu para a possibilidade da situação evoluir para um conflito armado. "O povo de Roraima vai reagir às afrontas, às humilhações; e vai resistir permanecendo na área", disse. 

Mais ponderado, o governador de Roraima acredita que a decisão do STF irá pacificar as questões. "Mesmo que a Corte decida pela demarcação contínua, acho que essa decisão põe fim a um conflito que atinge a todos. Acho que ela trará paz a todo o estado", disse. 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.