Governador de RR diz que ficou surpreso com conflito

O governador de Roraima, José de Anchieta Júnior (PSDB), disse hoje que foi surpreendido pela notícia do conflito entre índios e seguranças na terra indígena Raposa Serra do Sol quando viajava para Brasília, onde se reuniu com ministros do Supremo Tribunal Federal (STF). Anchieta Júnior disse que não tinha detalhes do incidente, que deixou dez índios baleados, mas levantou suspeita sobre os objetivos da invasão.

Agência Estado |

"A atitude não me cheira bem. Há algo estranho por trás dessa invasão. Não entendo qual seria a intenção de invadir a fazenda. Estou achando estranho. Por que acontece exatamente nesse período de indefinição? Se houve invasão, não caberia aos fazendeiros reagir dessa forma", afirmou, ao sair da audiência com o presidente do STF, ministro Gilmar Mendes. O governador de Roraima também visitou o relator das ações referentes à Raposa Serra do Sol, ministro Carlos Ayres Britto.

Anchieta Júnior é autor de uma das várias ações no STF que pedem a anulação do decreto do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, de abril de 2005, que faz a demarcação contínua da reserva, com 1,7 milhão de hectares de extensão. No entanto, como a primeira ação a ser julgada - e que terá efeito sobre as outras - deverá ser a de autoria dos senadores Augusto Carvalho (PT-RR) e Mozarildo Cavalcanti (PTB-RR), o governador decidiu pedir vista da ação dos parlamentares e de outras três ações para ser incluído como parte interessada no processo e acrescentar documentos que reforcem os argumentos dos parlamentares. "Queremos instruir melhor o processo. Se nossa ação atrasar um ou duas semanas, será para uma decisão mais justa. Vamos acrescentar indagações sobre o laudo antropológico que foi feito à época da demarcação e vamos mostrar a realidade econômica de nosso Estado", afirmou.

O governo sustenta que a retirada dos plantadores de arroz da reserva vai comprometer cerca de 6% da economia de Roraima e aponta irregularidades no estudo técnico que embasou a demarcação contínua. "Senti uma intenção de celeridade", disse o governador depois das conversas com Ayres Britto e Gilmar Mendes.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG