Depois de três anos de resistência, o Google comprometeu-se hoje a fornecer ao Ministério Público Federal (MPF) e à SaferNet, organização não-governamental (ONG) responsável pela Central Nacional de Denúncias de Crimes Cibernéticos, dados de usuários que praticaram crimes de pedofilia no site de relacionamentos da empresa, o Orkut. A promessa foi feita pelo diretor-presidente da Google Brasil, Alexandre Hohagen, na reunião da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Pedofilia, no Senado Federal, em Brasília.

Imagens de pornografia infantil publicadas em álbuns de fotografia com acesso restrito, que provam a prática dos crimes, também serão entregues pela Google às autoridades. Hohagen classificou como 'delicada' a entrega das informações, ainda sem prazo para acontecer.

Daqui a três meses, em 1º de julho, o Orkut passará a contar com uma ferramenta tecnológica para filtrar textos e fotos com conteúdo impróprio antes que sejam publicados, afirmou Hohagen. Segundo o diretor, a solução resolverá o problema da veiculação de conteúdo ilícito nas comunidades temáticas do Orkut. Será ineficaz, no entanto, para impedir os abusos nos álbuns de foto individuais. Com informações da Agência Senado.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.