Google cede à Europa na guerra pela venda digital de livros

A Google fará concessões às editoras e aos autores europeus em uma tentativa de conter a crescente indignação por sua decisão de digitalizar e vender milhões de livros on-line, segundo indica nesta segunda-feira o jornal Financial Times.

AFP |

A empresa decidiu dar dois postos a representantes não-americanos no conselho de um organismo responsável pelo cumprimento do acordo legal obtido nos Estados Unidos sobre o polêmico projeto de venda on-line de milhões de livros, segundo o Financial Times.

O diário informa que a empresa enviou neste final de semana uma carta aos representantes de 16 editoras da União Europeia anunciando sua decisão.

No documento, a Google também se compromete a consultar as editoras europeias antes de catalogar algumas obras do continente em sua biblioteca digital.

Em outubro passado, a Google chegou a um acordo referente à demanda da Associação de Autores e Editores dos Estados Unidos por violação de direitos autorais apresentada contra a empresa em 2005.

Segundo esse acordo, a Google aceitou pagar 125 milhões de dólares para resolver as queixas pendentes e estabelecer um órgão independente que avaliará as receitas de vendas e publicidade para os autores e editores que concordarem em digitalizar seus livros.

A Comissão Europeia decidirá agora se aceita ou não a oferta, embora na semana passada a Alemanha já tenha anunciado que não aceitava o acordo alcançado porque este violava a legislação internacional sobre direitos autorais.

tha/dm

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG