Gol nega ter contratado escritório de Teixeira

A Gol negou a contratação do escritório Teixeira, Martins & Advogados, do empresário e amigo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, no processo de compra da Varig. Segundo esclareceu a empresa, sua controlada, bem como qualquer outra empresa da Gol, não contratou em qualquer momento a assessoria do escritório.

Agência Estado |

"No processo de aquisição, a GTI (controladora da Gol) foi assessorada pelos escritórios de advocacia De Vivo, Whitaker e Castro Advogados, Barbosa, Müssnich & Aragão Advogados e Oliveira Marques Advogados Associados", afirma em nota enviada à Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

A companhia esclareceu também que o valor pago pela empresa, de US$ 320 milhões, foi compatível com os estudos realizados à época da aquisição. E que em um ano de administração da Gol, a Varig aumentou sua operação de 19 para 34 aeronaves, sua força de trabalho de 2 mil para cerca de 3,7 mil colaboradores e incrementou sua participação no mercado doméstico brasileiro de 4,31%, em abril de 2007, para 7,97%, em maio deste ano, segundo dados da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac).

A Gol reafirma que a aquisição foi aprovada pelas autoridades competentes, em conformidade com as leis vigentes e de forma transparente e ética. A empresa também lembra que a compra foi concluída em 09 de abril do ano passado e contou com as aprovações necessárias, em especial da Anac que, no dia 3 de abril de 2007, proferiu decisão formal autorizando a aquisição da VRG pela GTI, estando pendente apenas a aprovação pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade).

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG