BLOMFONTEIN (Reuters) - Um gol de pênalti de Kaká aos 45 minutos do segundo tempo salvou o Brasil em sua estreia na Copa das Confederações, nesta segunda-feira, garantindo uma vitória suada por 4 x 3 sobre o Egito na África do Sul. Numa partida movimentada desde o início, a seleção brasileira foi para o intervalo com vantagem de 3 x 1 graças a gols de Kaká, Luis Fabiano e Juan, mas deixou o Egito empatar por 3 x 3 ao levar dois gols em apenas um minuto no início do segundo tempo.

Mas um pênalti convertido por Kaká já nos acréscimos, após o egípcio Ahmed Al Muhamadi ter cortado a bola com a mão em cima da linha num chute de Lúcio, garantiu a vitória brasileira em seu primeiro jogo no torneio que serve como preparação para a Copa do Mundo de 2010 no país africano.

"Isso demonstra que a gente tem muita coisa a melhorar", disse após a partida Kaká, que foi eleito pelos organizadores o melhor jogador em campo. "Mas conseguimos nos recuperar, e o importante era começar com os três pontos."

O Brasil precisou de apenas cinco minutos para abrir o marcador, também com Kaká. O meia-atacante recebeu a bola na entrada da área e livrou-se de dois marcadores com toques pelo alto antes de finalizar no canto do goleiro egípcio El Hadary.

Apenas quatro minutos depois os campeões africanos chegaram ao empate, numa cabeçada forte de Mohamed Zidan após cruzamento da direita do companheiro de ataque Abo Terika.

Mais três minutos e o Brasil estava novamente em vantagem no marcador. Elano cruzou pelo alto para dentro da área e Luis Fabiano, mesmo marcado de perto pelo egípcio Gomaa, tocou de cabeça para o fundo das redes.

A seleção parecia estar se encaminhando para a vitória quando o zagueiro Juan aproveitou cobrança de escanteio de Elano e aumentou para 3 x 1, também de cabeça, aos 37 minutos, garantindo uma boa vantagem para o Brasil no intervalo.

No entanto, bastou o segundo tempo começar para a história da partida mudar. Num intervalo de um minuto, aos 9 e aos 10 da etapa final, o Egito marcou dois gols e chegou ao empate.

O meio-campista Mohamed Shawky recebeu na entrada da área após boa troca de passes pela esquerda e bateu com força para vencer o goleiro Júlio Cesar, que logo no minuto seguinte foi obrigado a buscar a bola no fundo das redes novamente após ataque finalizado de dentro da área por Zidan.

Após o golpe, o técnico Dunga colocou em campo o meia Ramires e o atacante Alexandre Pato nos lugares de Elano e Robinho para tentar uma reação, mas o Brasil não conseguiu retomar o controle da partida.

Apesar de Egito ter sido melhor nos últimos minutos, com maior posse de bola, o Brasil chegou à vitória já no final. Após falta cobrada para a área por Daniel Alves, Lúcio chutou para o gol e Muhamadi cortou com a mão em cima da linha.

O zagueiro do Egito ainda foi expulso antes da cobrança firme de Kaká no canto do goleiro que fechou o placar.

O Brasil, que defende o título da Copa das Confederações conquistado em 2005 na Alemanha, enfrenta na quinta-feira os Estados Unidos e encerra sua participação no Grupo B contra a Itália, atual campeã do mundo, no domingo. Os dois primeiros colocados da chave avançam para as semifinais.

A Espanha, que goleou a Nova Zelândia no domingo, lidera o Grupo A, à frente da anfitriã África do Sul e do Iraque, que empataram por 0 x 0.

(Texto de Pedro Fonseca; Edição de Maria Pia Palermo)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.