Goiás só tem a ganhar com Meirelles candidato, diz Lula

BRASÍLIA (Reuters) - Em uma atitude inusitada, o presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, acompanhou nesta quinta-feira o presidente Luiz Inácio Lula da Silva a uma visita a obras em Goiás, seu berço político. O presidente do BC avalia se será candidato a governador de Goiás ou concorrerá a outro cargo. Para Lula, Meirelles só deve ser candidatar se for para ganhar as eleições e para isso é necessário conquistar aliados.

Reuters |

"Precisamos construir uma aliança política para ganhar as eleições. O Meirelles não pode ser candidato para perder as eleições", destacou o presidente Lula em entrevista a rádios goianas.

Segundo Lula, como há muitos cargos em jogo no pleito do ano que vem, como governador e duas cadeiras no Senado para o Estado, todos os partidos envolvidos podem ser contemplados em uma futura coligação.

Lula aproveitou para fazer propaganda do auxiliar. "Se o Meirelles conduzir a economia de Goiás como ele conduziu o Banco Central, Goiás só tem a ganhar. Goiás vai ter um administrador excepcional porque o Meirelles é muito competente", sublinhou.

Indagado se abriria mão de Meirelles na presidência do BC a partir de abril, Lula foi dúbio.

"Perguntado assim, eu diria 'não'. Mas o Meirelles já tem serviços prestados ao país, foi um serviço inestimável que ele fez no Banco Central, a seriedade que ele conduziu a economia brasileira junto com a equipe econômica", disse.

Lula afirmou ainda que tem uma dívida de gratidão com Meirelles por ele ter renunciado ao mandato de deputado federal e abandonado o PSDB para assumir o comando do BC em 2003, primeiro ano do atual governo.

Meirelles foi eleito deputado federal em 2002 pelo PSDB e abdicou do partido e do mandato.

No evento sobre as obras da ferrovia Norte-Sul em Anápolis (GO), cidade natal de Meirelles, Lula voltou a elogiar o assessor. "Tenho muito respeito pelo Meirelles", discursou.

"Vocês muitas vezes já ouviram pessoas falarem mal do Meirelles porque os juros estavam altos. Quero dizer ao povo de Anápolis que sou agradecido a esse companheiro e à equipe econômica do governo por ter a estabilidade econômica e o respeito que o Brasil tem hoje no mundo", destacou Lula.

Antes de citar diretamente Meirelles, que não discursou no evento e nem concedeu entrevista, o presidente já havia enaltecido a situação da economia do país.

"A economia está bem. Faz quanto tempo que vocês não ouvem falar da inflação? A inflação está controlada. Neste instante, nós temos a menor taxa de juros da história do Brasil", disse.

O presidente contou ainda que Meirelles lhe perguntou se deveria entrar na política para disputar as eleições de 2002. Segundo Lula, sua resposta foi negativa.

"Daqui a pouco ele aparece como deputado federal pelo PSDB. Eu falei: 'Filho da mãe. Por que veio aqui perguntar para mim se devia fazer e depois foi para os tucanos e nem pediu para mim?'", brincou.

Em recente audiência no Senado, Meirelles sinalizou que seguiria à frente do BC até março, quando teria de se desincompatibilizar da função se for disputar as eleições. A escolha do partido tem prazo até um ano antes das eleições, no início de outubro.

(Reportagem de Fernando Exman)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG