O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) e do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), ministro Gilmar Mendes, voltou a cobrar hoje que o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) use os mesmos critérios para julgar representações contra supostas campanhas eleitorais antecipadas, sejam elas de executivos municipais, estaduais ou federais. Não se pode usar um critério para prefeitos e governadores e outro para presidente da República, disse Gilmar Mendes após assinar um termo de cooperação técnica com a Advocacia-Geral da União (AGU), em Brasília, informa a Agência Brasil.

"Só digo que a Justiça Eleitoral tem que primar por um parâmetro único, não podemos adotar parâmetros diversos", reforçou.

Ontem, durante a posse do professor João Rodas Grandino como reitor da Universidade de São Paulo (USP), Mendes disse ser preciso ter um critério uniforme e destacou que quando presidiu o TSE já exigia coerência nos julgamentos de questões eleitorais. "Continuo pensando da mesma forma."

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.