Gilmar Mendes nega crise com Legislativo

BRASÍLIA - O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Gilmar Mendes, negou nesta quarta-feira, que o julgamento de hoje do Tribunal Superior possa afetar as relações entre os dois poderes. ¿Essas tensões dialéticas são normais porque o Tribunal atua como um legislador negativo quando cassa decisões do Congresso¿, disse Gilmar Mendes.

Regina Bandeira - Último Segundo/Santafé Idéias |

Na tarde desta quarta-feira, o STF julgará ação da AMB (Associação dos Magistrados Brasileiros) que defende que candidatos condenados pela Justiça até em processos não tenham sido julgados em definitivo se tornem inelegíveis.

O presidente do STF, que esteve na Câmara dos Deputados reunido com o presidente da Câmara, Arlindo Chinaglia (PT-SP), acredita que a matéria será decidida ainda hoje.

Fogo amigo

Também presente na reunião, o procurador-geral da República Antônio Fernando de Souza alfinetou a polêmica listagem feita pela AMB, que colocou em seu site a lista dos candidatos a prefeitos das capitais que respondem a processos judiciais.

Mais do que fazer listas de fichas sujas, o Judiciário deveria julgar. Porque ao julgar, informaria a sociedade de maneira mais adequada. E emendou: Mais do que trabalhar com lista sem critério, que façam o julgamento, disse.

Por fim, o procurador-geral provocou AMB. Porque a AMB não defende o afastamento dos juízes que estão para ser julgados. 

    Leia tudo sobre: gilmar

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG