O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Gilmar Mendes, evitou comentar a decisão do presidente Luiz Inácio Lula da Silva de afastar a cúpula da Agência Brasileira de Inteligência (Abin).

A agência está sob suspeita de ter determinado a realização de escutas clandestinas que atingiram o próprio ministro e políticos. Mendes disse que foi comunicado sobre o afastamento pelo chefe do gabinete pessoal do presidente, Gilberto Carvalho. No entanto, o ministro não quis opinar sobre a decisão do presidente Lula.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.