NOVA YORK (Reuters) - O popstar britânico George Michael tem um conselho a dar ao candidato democrata à Presidência dos EUA, Barack Obama: forme uma chapa com a ex-rival Hillary Clinton. George Michael, de 45 anos, que está em turnê pela América do Norte pela primeira vez em 17 anos, disse a fãs durante um concerto no Madison Square Garden, em Nova York: Eu sei que vocês precisam de uma mudança.

Ele admitiu que não sabe que tipo de mudanças Obama promoverá se for eleito -- dizendo que, mesmo 'depois de meses assistindo à CNN', ele ainda não sabe o que Obama ou Hillary defendem -- mas que, se Obama 'chamar Hillary para seu lado, saberei que ele tem coragem.'

'Obama e Hillary são a dupla mais forte', disse Michael, falando dos senadores do Illinois e de Nova York.

O cantor, que já vendeu mais de 85 milhões de discos com sucessos como 'Careless Whisper' e 'Faith', levantou a arena em Nova York no primeiro de dois shows na cidade, perto do final de sua turnê norte-americana de sete semanas, passando por 22 cidades.

Ele chegou à fama no início dos anos 1980 como metade do duo Wham!, que fez enorme sucesso com o single 'Wake Me Up Before You Go Go'.

Mas foi como artista solo, com 'Faith', de 1987, que ele entrou para as fileiras dos superastros do pop e passou a fazer sucessos enormes como a canção 'I Want Your Sex'.

Michael, cujo nome de batismo é Georgios Kyriacos Panayiotou, teve problemas com a polícia de Beverly Hills, Califórnia, em 1998, quando foi preso por praticar ato obsceno num banheiro público.

Ele não contestou a acusação, foi multado e sentenciado a fazer serviços comunitários. O incidente o obrigou a assumir publicamente sua homossexualidade e seu relacionamento com o americano Kenny Goss.

No concerto da segunda-feira, ele dedicou sua canção 'Amazing' a Goss, que estava presente na platéia, e comentou que o casamento entre gays deveria ser permitido legalmente em Nova York. Também cantou outros sucessos como 'Fast Love', 'Father Figure' e 'Freedom.'

Michael disse aos fãs que na década de 1990 ele agiu como 'idiota completo' e 'perdeu seu rumo.'

Ele vem sendo destaque regular nos tablóides britânicos devido a seu comportamento. Em junho de 2007, depois de admitir ter dirigido sob o efeito de drogas, ele foi proibido de dirigir por dois anos e sentenciado a 100 horas de serviço comunitário.

Em 2006 ele enfureceu organizações de saúde mental ao fumar maconha durante entrevista na televisão e dizer 'este negócio mantém minha sanidade mental e felicidade.'

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.