Genro minimiza ação de Yeda para zerar déficit do RS

O ministro da Justiça, Tarso Genro, afirmou hoje que fazer déficit zero qualquer um faz, é só não gastar, ao ser questionado sobre um dos eixos do governo da tucana Yeda Crusius no Rio Grande do Sul. Ele observou que não estava desmerecendo o que foi feito no Estado e falava em tese sobre a questão.

Agência Estado |

"Fazer déficit zero não quer dizer nada", disse. "Eu defendo o que é uma política para dar sanidade fiscal do Estado, para o Estado rolar adequadamente suas dívidas e ser impulsionador do crescimento, desenvolvimento e emprego", complementou.

Em novembro do ano passado, Yeda anunciou que o Estado terminaria 2008 com as contas equilibradas, eliminando o déficit orçamentário estimado pelo governo em R$ 600 milhões no início daquele ano. Segundo a Fazenda, o balanço de 2008 encerrou com superávit orçamentário de R$ 443 milhões. O governo atribuiu o equilíbrio das contas a corte de despesas de custeio, controle da folha de pagamentos, medidas para aumentar a arrecadação e crescimento econômico.

Potencial candidato ao governo do Estado, Genro reiterou que defende uma escolha por consenso, sem a realização de prévias no PT. Na avaliação do ministro, o partido está mudando a forma de resolver divergências internas e tomar decisões, escolhendo mais o "diálogo" e "persuasão" e menos a "votação". Ele lembrou que disputou três prévias no PT, mas defendeu que o nome seja escolhido por consenso em agosto.

Polícia Federal

Ao comentar decisão do Supremo Tribunal Federal que em fevereiro deu acesso a advogados a provas documentadas em autos de inquéritos policiais envolvendo seus clientes, o ministro considerou que a medida pode, eventualmente, prejudicar as investigações. "Se o inquérito tem algum segredo, ele fica rompido pelo acesso dos advogados", ponderou. "Mas é uma questão técnica que precisa ser resolvida pela Polícia Federal e (precisa) obedecer a decisão do Supremo", afirmou o ministro, após apresentar palestra em reunião-almoço na Federação das Associações Comerciais e de Serviços do Rio Grande do Sul (Federasul).

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG