BRASÍLIA - O general Jorge Félix, ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), reafirmou nesta quarta-feira à Comissão Mista de Controle de Atividades de Inteligência do Congresso Nacional que a Agência Brasileira de Inteligência (Abin) não possui aparelhos capazes de fazer interceptações telefônicas. A Abin é subordinada à GSI, sob comando de Félix.

Acordo Ortográfico

Já respondi essa pergunta mais de uma vez. O equipamento que existe na Abin não é para escuta telefônica. É um equipamento de varredura. É para isso que existe o equipamento: para segurança, afirmou. 

O ministro da Defesa, Nelson Jobim, afirmou ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que o Exército e a Abin compraram maletas de varredura que seriam capazes, sim, de fazer grampos telefônicos. Após a revelação, Lula decidiu afastar toda a cúpula da Abin.

Denúncia publicada na revista Veja afirma que a Abin grampeou ilegalmente o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Gilmar Mendes, senadores da República e ministros de Estado. A agência é proibida por lei de fazer interceptações telefônicas.

Jobim depõe à CPI nesta quarta

Jobim irá depor nesta quarta à tarde à CPI dos Grampos, na Câmara dos Deputados. O general Félix garantiu há pouco que Jobim apresentará aos deputados um relatório feito pelo Exército sobre as tais maletas.

Depõem neste momento à Comissão Mista de Controle de Atividades de Inteligência do Congresso Nacional, além do general Félix, o  diretor-geral da Polícia Federal, Luiz Fernando Corrêa, e o diretor afastado da Abin, Paulo Lacerda.

Leia também:

Leia mais sobre: CPI dos Grampos

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.