Geddel diz trabalhar contra CPI dos Fundos de Pensão

O PMDB não está fechado com a ideia de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para apurar corrupção nos fundos de pensão de estatais. O ministro da Integração Nacional, deputado Geddel Vieira Lima (PMDB-BA), avisa que está trabalhando contra a abertura do inquérito proposto por setores do partido que estão de olho nos petistas que controlam os fundos.

Agência Estado |

"Sou contra a CPI", disse Geddel, convencido de que não existe um "fato determinado" que justifique a investigação.

A ofensiva foi uma reação de peemedebistas ao fracasso da ofensiva do presidente de Furnas, Carlos Nadalutti, e do ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, para trocar o comando da Fundação Real Grandeza, fundo de pensão que administra R$ 6,3 bilhões em recursos previdenciários de Furnas e da Eletronuclear.

O ministro comunicou ao governo que está "recomendando aos deputados amigos", que o ouvem, que não assinem o requerimento em favor da CPI dos Fundos de Pensão. "Me constrange este tipo de comportamento que passa à opinião pública a ideia de pressão indevida, de chantagem. Neste caso específico, termino concordando com o Jarbas Vasconcelos", afirmou o ministro, referindo-se ao senador do PMDB pernambucano, que acusou o partido de "só querer cargos".

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG