Gasoduto rompido durante chuvas em SC volta a funcionar

SÃO PAULO - O transporte de gás natural para Santa Catarina e Rio Grande do Sul voltou ao normal às 18 horas desta terça-feira depois da conclusão dos trabalhos no gasoduto rompido pelas chuvas que assolaram o Estado catarinense, informou a Transportadora Brasileira do Gasoduto Bolívia-Brasil (TBG). A TBG volta a entregar diariamente, em média, 2,6 milhões de metros cúbicos de gás às companhias distribuidoras SCGás e Sulgás, informou a empresa em um comunicado.

Redação com Reuters |

Segundo a TBG, essa quantidade é a média diária praticada antes do rompimento do duto. A empresa afirma que o incidente foi causado pela grande quantidade de terra e lama que se movimentou devido às chuvas torrenciais que caíram no município catarinense de Gaspar. Inicialmente, a conclusão dos trabalhos estava prevista para o dia 15 deste mês.

Até o momento, 123 pessoas morreram vítimas das chuvas em Santa Catarina e 29 estão desaparecidas, segundo a Defesa Civil. O número de desabrigados e desalojados está em 33.475, sendo 27.236 desalojados e 6.239 desabrigados.

No último dia 26, a Bolívia informou ter aumentado o volume de gás direcionado à Argentina por causa do corte do fornecimento provocado pelas chuvas em Santa Catarina. Na ocasião, o ministro de Hidrocarbonetos, Saúl Avalos, disse a jornalistas que o envio de gás à Argentina havia atingido a média diária de 6 milhões de metros cúbicos, contra o habitual 1,5 milhão de metros cúbicos.

Com o pior das chuvas ficando para trás, equipes tentam recuperar áreas devastadas há cerca de uma semana e analisam áreas de risco para decidir quem pode ou não voltar para casa.

O Estado, além disso, conta seus prejuízos. A Companhia de Desenvolvimento Agrícola de Santa Catarina (Cidasc) informou nesta terça-feira ter enterrado mais de 1.500 animais mortos durante as enchentes. Desse total, 1.350 são bovinos, 200 são ovinos e sete, equinos.

Chuvas

Nesta segunda, a Defesa Civil alertou a população para a possibilidade de mais chuvas entre esta terça e quinta-feira (9 e 10).

De acordo com os meteorologistas, o deslocamento de um frente fria pelo Sul do Brasil deve provocar instabilidade no Estado, favorecendo a ocorrência de pancadas de chuvas de intensidade moderada e forte por alguns momentos, e também de descargas elétricas.  O volume de chuva pode variar entre 30 a 60 mm, em média, nas regiões da Grande Florianópolis, Vale do Itajaí e Litoral Norte. Também há risco de temporal e queda isolada de granizo.

No caso de alagamentos a Defesa Civil recomenda que a população evite o contato com as águas que podem estar contaminadas. Também é aconselhável não dirigir em lugares alagados. Moradores de áreas vulneráveis a deslizamentos precisam ficar atentos, no caso de aparecimento de fendas, depressões no terreno, rachaduras nas paredes das casas e inclinações de troncos de árvores ou postes. Qualquer orientação da Defesa Civil do município deve ser atendida.

No caso de emergência a comunidade deve acionar a Coordenadoria Municipal de Defesa Civil, através do telefone 199.  O telefone para contato da Defesa Civil estadual é o 48 3244 0600.

Casal soterrado

Ainda neste fim de semana, um casal de idosos da cidade de Gaspar, a 140 km de Florianópolis, foi soterrado após voltar para casa. Eles haviam deixado o local depois de um desmoronamento e decidiram retornar após alguns dias. A Defesa Civil, porém, não confirma a morte deles, já que os corpos ainda não foram encontrados.

Zigfritz Taihetch, de 77 anos, e Erna Iolanda Cipriano, de 79, eram agricultores familiares e foram atingidos por um desmoronamento no bairro Belchior Baixo.

Veja também:

Leia mais sobre: Santa Catarina

    Leia tudo sobre: santa catarina

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG