O garoto Guilherme Cardoso de Souza, de 13 anos, é o mais novo aluno do curso de Química da Universidade Federal do Paraná (UFPR). Guilherme foi primeiro colocado nos exames do vestibular, repetindo o resultado da Olimpíada Paranaense de Química do ano passado.

Ele já completou o segundo grau no sistema de curso intensivo e poderá fazer a universidade normalmente.

Para ele, a universidade é apenas uma das etapas para o que planejou: editar um livro sobre a área e posteriormente dar aulas da matéria. "Preciso estar graduado para editar meu livro", disse. O estudante recebeu a notícia na última semana, quando estava com sua família em Caiobá, no litoral paranaense. O projeto do rapaz, que mora no bairro Sítio Cercado, na periferia de Curitiba (PR), é escrever um livro didático de química com 106 capítulos para ser utilizado no segundo grau. "Também penso em dar aulas, explicar tudo o que sei", afirmou.

Guilherme fez parte do projeto Bom Aluno, da empresa BS Colway, que financia estudos para crianças carentes. O jovem entrou para o programa após sua mãe, Edina Lopes Cardoso, mandar uma carta para a empresa. "Ele lê e escreve sozinho desde os dois anos. Tentei colocar em uma escola particular, mas não tínhamos dinheiro", disse.

Ela disse que a notícia da aprovação no vestibular a deixou emocionada e espera apenas que isso não mude a cabeça de seu filho. "Ele deve continuar sendo a mesma pessoa, humilde, querido, pois Deus lhe deu esse dom e precisa fazer um bom uso disso", afirmou. Para o garoto, que se considera caseiro, mas não costumava revisar lições em sua casa, será possível crescer com essa fama repentina. "Ainda não consegui sentir o tamanho dessa emoção, mas espero agora fazer o livro e dar aulas depois. Agora isso vai possível". Guilherme mora com os pais e tem duas irmãs mais velhas. A família tem renda baixa, pois o pai trabalha como entregador de material de construção e a mãe tem um pequeno comércio no bairro.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.