Com muitas críticas ao governador peemedebista do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, o ex-governador Anthony Garotinho formalizou hoje sua saída do PMDB. No próximo dia 22, Garotinho vai se filiar ao PR, partido que também integra a base do presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

O ex-governador prometeu apoio à candidatura da ministra Dilma Rousseff à sucessão presidencial, pelo PT, embora tenha afirmado que não dividirá o mesmo palanque que Cabral no Rio de Janeiro."Dilma é minha amiga, foi militante do PDT comigo", disse o ex-governador. "Acho muito difícil subir com ele (Sérgio Cabral) no palanque, talvez seja melhor termos dois palanques", completou.

Garotinho informou que decidirá até setembro se concorrerá ou não ao governo fluminense em 2010. "O atual governador destruiu os projetos sociais que implantamos e não há nenhum empreendimento importante no Estado do Rio levado por ele. O atual governador foi um bom deputado, mas não tem vocação para o Executivo, faz uma gestão muito precária", disse Garotinho, que fez uma visita ao presidente da Câmara, Michel Temer (SP), licenciado da presidência nacional do PMDB. Garotinho já foi do PT, do PDT e do PSB. Sua mulher, Rosinha, ex-governadora e atual prefeita de Campos (RJ) e a filha Clarissa, vereadora no Rio, continuam no PMDB.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.