O presidente da Comissão de Assuntos Econômicos (CAE), senador Garibaldi Alves (PMDB-RN), cederá a relatoria do projeto de lei que cria o Fundo Social com parte dos lucros da exploração do petróleo do pré-sal ao ex-ministro Edison Lobão (PMDB-MA), que reassume hoje o mandato de senador. Como presidente da CAE, Garibaldi tem a prerrogativa de indicar os relatores de todos os projetos que tramitam pelo colegiado e também de avocar para si a relatoria que desejar.

Quando os quatro projetos que mudam o marco regulatório da exploração do petróleo do pré-sal chegaram ao Senado, o PMDB acertou com Garibaldi que ele ficaria com a relatoria do projeto do Fundo Social na CAE com a intenção de cedê-la a Edison Lobão quando ele deixasse o Ministério de Minas e Energia.

A estratégia de guardar a relatoria para Lobão coube ao senador Renan Calheiros (AL), líder do PMDB, e tem como objetivo fortalecer o ex-ministro politicamente na Casa. Em outubro, Lobão deve se candidatar à reeleição ao Senado pelo PMDB do Maranhão.

Outros três senadores que estavam licenciados voltam aos cargos hoje: Alfredo Nascimento (PR-AM), do ministério dos Transportes, Hélio Costa (PMDB-MG), das Comunicações, e Leomar Quintanilha (PMDB-TO), ex-secretário de Educação do Tocantins. Nascimento e Quintanilha tentarão um novo mandato de senador em outubro. Costa cobiça o governo de Minas Gerais, mas ainda não ganhou o aval da coligação PT-PMDB.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.