O presidente do Senado, Garibaldi Alves (PMDB-RN), reafirmou aos líderes partidários, durante almoço em sua residência, que lerá na tarde de hoje, na sessão do plenário, o requerimento de criação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) exclusiva do Senado para apurar irregularidades no uso de cartões corporativos do governo federal. A reafirmação do compromisso por Garibaldi foi informada por participantes do almoço.

A criação de uma CPI exclusiva no Senado foi requerida pelos partidos de oposição sob a argumentação de que, na CPI Mista dos Cartões Corporativos, atualmente em funcionamento, os governistas, que são maioria, impedem as investigações derrubando os requerimentos de convocação de autoridades. Durante o almoço, de acordo com participantes, o líder do governo no Senado, Romero Jucá (PMDB-RR), e a líder do PT, senadora Ideli Salvatti (SC), se posicionaram contra a criação da CPI exclusiva na Casa. Jucá, segundo esses relatos, cobrou o cumprimento do acordo pelo qual as denúncias de irregularidades no uso dos cartões seriam investigadas unicamente pela CPI Mista.

O líder do DEM, senador José Agripino (RN), reagiu: "Mas não houve acordo para participarmos do jogo de truculência e de encobrimento das investigações na CPI Mista." Ainda segundo participantes do almoço, os oposicionistas anunciaram que não darão quórum para a votação das medidas provisórias (MPs) que estão trancando a pauta do Senado e ainda se posicionaram a favor da aprovação do projeto do senador Paulo Paim (PT-RS) que, contra a vontade do governo, reajusta benefícios de aposentados da Previdência.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.