Garibaldi pretende discutir grampos na semana que vem

O presidente do Senado, senador Garibaldi Alves (PMDB-RN), informou hoje que só na próxima semana deve convocar o Congresso Nacional para debater a questão das gravações ilegais de conversas de autoridades do Judiciário e do Legislativo. Criticado pelo PSDB, PPS e DEM, que avaliam que ele não agiu em relação ao assunto com a firmeza necessária, Garibaldi disse que se dispõe a atender ao pedido da oposição de convocar uma sessão do Congresso para prestar contas de suas ações.

Agência Estado |

"É uma injustiça. Estou fazendo o que posso, com a devida serenidade para não agravar a crise", afirmou Garibaldi, ao rebater as críticas. Ele lembrou que foi ao presidente da República, em companhia de outros senadores, pedir providências e disse que serão aprovados pelo Senado projetos que tratam do combate à prática de escutas e gravações clandestinas ilegais. "Os projetos, a meu ver, serão aprovados na próxima semana pelos senadores."

Garibaldi mencionou o projeto do senador Jarbas Vasconcellos (PMDB-PE) sobre grampos e uma proposta do senador Demóstenes Torres (DEM-GO) que cria uma ouvidoria para controle externo da Agência Brasileira de Inteligência (Abin) e de outros órgãos públicos. A gravação clandestina de uma conversa de Demóstenes com o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Gilmar Mendes, foi noticiada pela edição desta semana da revista Veja .

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG