Garibaldi: Lula disse que medida contra grampo sai hoje

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva informou ao presidente do Senado, Garibaldi Alves (PMDB-RN), e aos senadores Tião Viana (PT-AC) e Demóstenes Torres (DEM-TO) que deve anunciar ainda hoje medidas em relação às escutas telefônicas ilegais envolvendo o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Gilmar Mendes, e outras autoridades. O caso é extremamente grave e providências serão tomadas ainda hoje, afirmou Lula, de acordo com relato de Garibaldi Alves.

Agência Estado |

No entanto, segundo o presidente da Casa, Lula não chegou a detalhar quais medidas seriam essas.

Ao sair da reunião no Palácio do Planalto, Garibaldi disse que Lula anunciou que ainda hoje pretende reunir o conselho interno do Planalto para discutir o assunto. Lula não adiantou que medidas serão estas. Lula informou ainda aos senadores que mandou fazer uma sindicância rigorosa para apurar as responsabilidades sobre o grampo. Garibaldi Alves contou que Lula disse que tomaria as medidas para tranqüilizar a Nação.

No encontro com os senadores, Lula teria dito, ainda conforme relato de Garibaldi, que teme até pela instabilidade das instituições. "Isso não pode continuar, é inadmissível", disse o presidente, de acordo com Garibaldi.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG