Garibaldi faz novo apelo para acabar com o nepotismo no Senado

BRASÍLIA - O presidente do Senado, Garibaldi Alves (PMDB-RN), disse nesta segunda-feira que fará um novo apelo para que os senadores demitam parentes de até terceiro grau. Ele lembrará aos senadores que o nepotismo foi proibido pelo Supremo Tribunal Federal (STF). Até a última sexta-feira, somente 35 dos 81 senadores responderam a uma consulta da Mesa Diretora e encaminharam a relação de familiares empregados no Senado. Pelo menos 35 servidores já foram exonerados de 18 gabinetes.

Severino Motta - Último Segundo/Santafé Idéias |

"Tendo em vista que o prazo para enviar a lista expirou, talvez por causa da falta de tempo devido à campanha eleitoral, vou fazer um novo apelo para que mandem a lista o mais rápido possível", disse.

Dos 35 senadores que já responderam à consulta, 33 disseram não ter parentes contratados em seus gabinetes. Outros dois fizeram consulta à mesa, como é o caso do senador Epitácio Cafeteira (PMDB-MA). Ele questionou a mesa sobre o caso de uma sobrinha, que já era servidora antes dele se tornar senador.

Em relação a uma possível punição para os senadores que não demitirem seus familiares, Garibaldi disse que está com as mãos atadas, uma vez que, por se tratar de uma "situação inusitada", não há uma punição legal dentro do Senado para quem descumprir a súmula do Supremo.

Sobre os parentes de servidores que ocupam cargo de chefia na estrutura funcional do Senado, o presidente do Senado disse que vai pedir à Direção Geral da Casa para preparar um levantamento. Após isso os casos serão analisados.

    Leia tudo sobre: nepotismo

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG